Personagem Oficial Brasileiro: Lady Margaret Willoughby


A GUARDIÃ DO SEGREDO

Numa noite perversa na Escócia, cinco bruxas de estilo próprio se reuniram em um quarto de hóspedes na ala leste do Castelo de Balmoral. Seu círculo se reunira para animar sua anfitriã, a rainha Victoria, que se tornara melancólica após a morte de seu marido, o príncipe consorte Albert. Liderados pela traidora Lady Lise Paulmann, as bruxas se reuniram na biblioteca, desenhando segredos proibidos no chão e acendendo velas para que pudessem invocar o fantasma de Albert e obrigá-lo a implorar a ela que se juntasse a ele, levando a rainha ao desespero. Mesmo que a rainha não tentasse atravessar o Véu nos braços do príncipe fantasma, no momento em que ela falou em público sobre uma visita do fantasma de seu amante, ela se tornou inadequada para liderar o império aos olhos de seus súditos, apesar do misticismo romântico da época. 

Além disso, Lady Paulmann procurou colocar a rainha em escravidão para que a Alemanha recém-unificada, crescesse politicamente e pudesse manter seu vizinho europeu sob controle. Para o resto das bruxas, tal traição era inimaginável, mas elas foram seduzidas pela ideia de ter a rainha em dívida. A própria Paulmann vivia no Reino Unido de Victoria e não desejava convidar os alemães belicosos para saquear seu lar adotivo, pois também gostava muito da riqueza e do conforto ao qual ela tem sido acostumada.  Sem dúvida, ela era uma espiã de sua terra natal... mas não desejava ajudar a pátria, muito.
Na verdade, Lady Paulmann era um carniçal trabalhando a pedido de um grupo de alemães Ventrue, travando sua secreta Jyhad contra o príncipe Mithras de Londres. Agir diretamente contra a Rainha Victoria foi um movimento ousado e desesperado da parte deles, e o ardil foi desvendado apenas por causa da chegada oportuna de agentes do Lord Tremere Hargau, da Escócia. 

A Escócia era há muito tempo um território de domínios feudais principalmente de Toreador, devido a uma conexão entre os degenerados da Caledônia e a Casa de Valois, que haviam anexado os domínios escoceses durante o governo de Mary Stuart e seu casamento com Francisco II, da França. Os Toreador franceses destituídos viajaram para a Escócia, reivindicando domínios de Ventrue independentes, Brujah e Príncipes Gangrel, apoiados pelo poder do trono francês antes da ascensão de Elizabeth na Inglaterra e a cumplicidade de muitos Ventrue ingleses. 

Em meio à política centenária e esse lamaçal, o enredo de Lady Paulmann contra Victoria se formou. E na noite em que sua sessão começou, foi interrompida pela chegada de Hargau, que então detinha o senhorio dos domínios reunidos. A chegada de Hargau foi a mais pura coincidência, mas os olhares culpados dos outros convidados da Rainha quando ele fez suas apresentações recaíram no ritual e despertaram suas suspeitas. Sob a sua presença devastadora, uma das “bruxas” reunidas, Lady Margaret Willoughby, admitiu a trama inteira, e com uma apressada sessão de sondagem dominada, Hargau confirmou a conspiração e seus traidores. 

Na maioria dos casos, isso significaria o fim tanto para os traidores quanto para quem participou, pois, a justiça Tremere é algo inflexível. No entanto um grande tumulto na Casa Tremere mudou o resultado desta noite, e o complô contra a Rainha Victoria tornou-se o catalisador para o maior esquema que abrangeria os continentes. A crise gerou uma oportunidade. 

A oportunidade não foi agradável, no entanto, como seria de esperar das traições do amaldiçoado. Das cinco bruxas, Hargau matou três, para proteger o segredo da conspiração - e para saciar sua sede de sangue. Posteriormente, o Lord Tremere se trancafiou em uma Capela Tremere auxiliar em Glasgow com as senhoras Paulmann e Willoughby como suas “convidadas”, onde elas foram vigiadas por carniçais corteses e por bizarros constructos taumatúrgicos que apaziguaram suas necessidades. As damas reagiram diferentemente à hospitalidade de seu anfitrião, e Hargau deixou claro que tinha planos para elas que envolviam um grau maior de artes de feitiçarias do que suas limitadas tentativas em Balmoral tinham fornecido. 

Durante um mês, Hargau cortejou as duas bruxas falsas com tentações ao poder, exigindo dos dízimos de sangue que ele usou para iniciá-las nos mistérios do Clã Tremere. Na noite mais auspiciosa, quando um céu sem nuvens produziu um solstício longo e cru, o Senhor Tremere trouxe seu aprendiz para o cofre da capela para Abraçar Lady Paulmann. Incitada, Lady Paulmann protestou, porque se o segredo da verdadeira feitiçaria viajasse no sangue, por que ela teria que se contentar com o Abraço de um aprendiz baixo e comum? Hargau deu um tapa nela, atordoando-a em silêncio, avisando-a de que a estrutura da pirâmide precisava ter sua base, e que havia ... maneiras de aumentar a potência do Sangue. Lady Paulmann então se submeteu grosseiramente ao abraço do aprendiz, enquanto Lady Willoughby olhava horrorizada e a observava a morte dela.

Quando a criatura não-viva em que Lise Paulmann havia se tornado se levantou da mortecrisálida, o Lord Tremere ordenou que ela se alimentasse do sangue de um carniçal. E como que para demonstrar a hierarquia sanguínea do clã, ele obrigou lady Paulmann a realizar o mesmo ato sobre Lady Willoughby, para arrancar o fio de sua vida e substituí-lo pelo sangue da meia-noite da maldição. O olhar nos olhos de Lady Paulmann quando ela se aproximou de Lady Willoughby paralisou a mulher ainda mortal com desespero. Ela sempre foi dócil, e se juntou ao grupo de bruxas em grande parte por obrigação de outros, e ver a monstruosidade que a esperava sob a maldição que esse fanático Hargau havia explicado - mas o tempo para tais terrores desapareceu enquanto sua vida se derramava. Em seu corpo numa corrida emocionante floresceu dentro de sua cúmplice voraz.

Hargau então deu uma lição prática naqueles “modos de aumentar a potência do Sangue”. Ele explicou aos filhotes que bebendo sangue de outro Membro e além, consumindo sua própria alma, poderia concentrar o poder em vitae, destilando isso, alquimicamente, reduzindo-a ao mais potente humor e recolhendo da sua força um poder mais agudo sobre a condição dos Membros. E então, quando o aperto visceral de um funcionário taumatúrgico deixou Lady Paulmann imóvel, ele instruiu Margaret Willoughby a executar esse ato.

O Amaranto marcou Lady Willoughby com sua violência, com seu prazer carnal, e com a nociva blasfêmia de sua função. Como o sangue de seu senhor de alguns momentos riscou a boca e o nariz de Lady Willoughby, o corpo de Lise Paulmann desmoronou em cinzas.

"Isto é para a sua proteção e a minha", Hargau falou enigmaticamente, e só mais tarde Lady Willoughby chegou a entender o valor de remover da linhagem de seu ancestral. Ao custo de sua própria humanidade, ela ganhou o poder do abraço de seu ancestral, mas também uma distância entre eles - uma lacuna de progenitores que sugeria uma autonomia da vontade de Hargau realizada apenas pela pretensão ilusória de ancestralidade. “Além disso”, o Lord Tremere revelou, “uma sensação de direito como o seu senhor que partiu para uma fundação duvidosa na pirâmide”.  

Lamentavelmente, a aristocrata recém abraçada mostrou pouca habilidade com a Taumaturgia, achando sua prática repulsiva e medieval. A pedido de Hargau, ela se inclinou em direção ao teatro político do clã, mas aqui ela igualmente teve pouco sucesso. O peso político de um Tremere que era a esposa de um senhor menor na Escócia dominada pelos Toreador era insignificante, e ela provou ser uma grande responsabilidade para os bruxos, como ela fez um recurso. Nesta época, a carreira de Hargau com os Tremere estava em declínio e os dois se separaram.

Em um esforço para deixar o Reino Unido para trás, Lady Willoughby tomou seu próprio dinheiro, deixado para ela após a infeliz morte de seu marido tuberculoso, e investiu na Ferrovia Transandina. Despachando a totalidade de sua propriedade para a Argentina, Lady Willoughby parecia muito a parte do investidor expatriado, e apesar das dificuldades que a Companhia Ferrocarril Trasandino Clark teve que inovar, a empreitada acabou não apenas lançando, mas prosperando. Com um modesto investimento acumulando recursos para ela, os interesses de Lady Willoughby se voltaram para si. Com um humilde refúgio em Mendoza, aprendeu a língua e o suficiente da cultura argentina para desempenhar seu papel de emigrante urbano. 

Tais resoluções silenciosas raramente ocupam o Membro por muito tempo, e tal provou ser o caso para Lady Willoughby. Uma noite, quando ela realizou um jantar para muitos da elite da cidade em seu 'lar Californiano', recebeu uma visita: seu ancestral, Hargau. Sua estrela não tinha desaparecido por acaso, ele simplesmente construíra uma saída tranquila do senhorio da Escócia com a ajuda de um patrono silencioso colocado em outro lugar da Pirâmide. Tudo isso fazia parte do seu plano de longo prazo, confessou ele, porque ele e seu patrono haviam descoberto um segredo que poderia ter desencadeado uma guerra na Europa, e com as tensões aumentando na Áustria-Hungria na época, a última coisa que os Membros precisavam era de um alto conflito além do agravamento do clima político mortal.

Hargau revelou sua situação: que ele havia encontrado um aliado improvável em um segmento de pesquisa taumatúrgica durante o tempo passado no final dos anos 1700 em Viena. Em vários estudos sobre o sangue dos Membros, a composição da linhagem Gárgula e o solo assombrado dos domínios da Europa Oriental, Hargau e uma pequena cabala de colegas Tremere da Casa Goratrix descobriram uma curiosidade que parecia ter florescido, se tal pudesse ser dito, na vitae do clã Tzimisce. E, se as experiências conduzidas pela capela fossem verdadeiras, Hargau e sua cabala teriam a capacidade de tornar a “anomalia” inerte. Lady Willoughby não entendeu, então Hargau explicou - se a magia do sangue pudesse ser desenvolvida, os Tremere teriam a capacidade de acabar com a Maldição de Caim no Tzimisce, enviando o ritual viajando pela linhagem mística dos Demônios como um vírus, reduzindo-os a cinzas onde estavam. 

Os detalhes ainda iludiam Margaret Willoughby, mas era por isso que Hargau a escolhera. Ela não tinha a capacidade de realizar o ritual sozinha, então ele não tinha nenhuma preocupação de que ela abusaria dele sem seu conhecimento, e sua falta de efetividade na política maior dos Membros significou que ninguém havia tomado conhecimento indevido dela. Ela era uma excelente candidata para proteger o segredo que ele estava prestes a descobrir.

O problema, claro, era que a Casa Goratrix escolhera aliar-se ao Sabá, que havia sido formado após a Revolta Anarquista como uma união de Lasombra e ... Tzimisce. Com o poder do Sabá em ascensão no Novo Mundo, Goratrix viu uma oportunidade de colocar sua Capela de Tremere Antitribu em uma posição de vantagem entre eles. Isso não extinguiu nenhum entusiasmo da Casa Goratrix por encontrar o ritual. Em vez disso, Hargau confidenciou, seu antigo círculo parecia altamente motivado a fazê-lo - simplesmente tornava seus motivos um pouco diferentes daqueles dos Tremere ainda fiéis a Viena e ao Conselho dos Sete. As prioridades do feiticeiro encapuzado pertenciam primeiro a ele mesmo, então sua Casa, com a lealdade à Espada de Caim caindo para um terço distante na agenda do Usurpador. Para Goratrix, o Sabá representou uma ferramenta útil e uma poderosa seita patronal, em vez de uma ideologia para venerar por si mesma.

Desde a chegada de Hargau na América do Sul, o Sabá estava de olho nele, e apesar de seu uso especializado de taumaturgia para esconder sua trilha, os rebeldes da Casa Goratrix tinham feitiçarias maiores sob seu comando. Com seus movimentos conhecidos pelos agentes do Sabá que a facção de Goratrix julgara apropriado contar, Hargau sabia que seu tempo estava se esgotando, mas que alguém fora da facção desonesta devia possuir o segredo. Ele permaneceu no refúgio de Lady Willoughby por vários meses, embora tenha desaparecido por semanas a fio, intencionalmente mantendo-a ignorante sobre seus movimentos para que qualquer um que a questionasse não conseguisse descobrir o paradeiro dela, independentemente do que pudessem infligir a ela.

Durante esses meses, Margaret Willoughy considerou seu destino. Seu Senhor havia abusado dela desde sua primeira noite entre os amaldiçoados, tratando-a como um peão e um bode expiatório, empurrando primeiro sua condição e então sua agenda sobre ela. No outono de 1912, Lady Willoughby decidiu que já estava farta dos maus tratos de Hargau. Quando o bando de Víboras de Dios chegou chamando, com o assassinato em suas mentes e fogo nas mãos, ela ofereceu-lhes um acordo. Ela os presentearia com um Hargau estacado e eles a deixariam em paz enquanto ela fugia de seu domínio. Desapontados com a falta de necessidade de forçá-la a se render ao convidado dela, os Víboras de Dios deixaram Lady Willoughby com um aviso sombrio. Se ela planejasse renunciar ao acordo, eles também a perseguiriam nas extremidades da terra e jogariam suas entranhas em uma águia de sangue para o sol devorar. Margaret não tinha intenção de desistir do acordo, mas ela tocava a sua extrema timidez por tempo suficiente. Tendo se preparado para seu curso de ação, ela planejou uma traição que para ela suportava a gravidade da justiça.

Na noite seguinte, Lady Willoughby vasculhou os quartos de Hargau, procurando em seus escassos pertences tudo o que parecia ter valor taumatúrgico. Hargau não era bobo, no entanto, ambos escondiam seus diários que continham o ritual e protegiam seu refúgio improvisado de adulterações. Quando ele voltou para o refúgio de Margaret, imundo com a sujeira de viagens obviamente desesperadas, ele exigiu que ela lhe mostrasse suas mãos. Lá embaixo da renda de suas luvas de noite, brilhava seu sigilo choroso, aberto cru sobre a carne de sua mão. 

Lady Willoughby confessou a chegada de ferozes ameaças do bando Sabá que exigiram que ela o entregasse a eles, mas ela não tinha ideia de onde ele estava. De lá, no entanto, ela inventou uma mentira que se adequava ao seu comportamento humilde, que eles exigiam alguma bugiganga pessoal dele e que ela lhes cedeu, revirando seus pertences em uma tentativa desesperada de lhes dar algo de valor. 

Hargau comprou o ardil, orgulhoso de sua própria antecipação de que alguém poderia estar seguindo-o e a sabedoria de esconder seu diário ritual. Ele perdoou Lady Willoughby a transgressão e questionou-a quanto às identidades dos intrusos. Ela descreveu as Víboras de Dios, que ele reconheceu como Sabá, mas sem qualquer conexão conhecida com os Tremere Antitribu.

Os domínios argentinos não tinham lealdade formal à seita, sendo uma confederação de territórios em que os príncipes e bispos da Camarilla e do Sabá dominavam. Entre as áreas mais populosas estendiam-se vastos domínios desconhecidos, onde autarcas poderiam ser o único poder, ou onde grupos de Sabá ou Anarquistas poderiam reivindicar sua própria praxis. Como tal, explicou Hargau, as únicas autoridades a serem encontradas eram da mesma variedade local, e se o Príncipe de Mendoza não tivesse nenhuma queixa pessoal contra o Sabá, ela poderia não ter qualquer problema em entregar um desordeiro a um bando ansioso se isso significasse que a Espada de Caim fossem embora do domínio dela de volta para o seu. Isso significava que a segurança deles estava em suas próprias mãos, e esse vôo era o melhor recurso deles.

Chorando lágrimas de sangue que Hargau presumiu serem carregadas de medo, Lady Willoughby concordou. Eles abandonariam o Lar Californiano na noite seguinte, e ela iria aonde ele a instruísse, esperando até que ele a contatasse novamente para dar o próximo passo. Ela até sugeriu que ele não lhe dissesse seu destino, mais uma vez que seu sigilo poderia ser protegido. Hargau sorriu. Sua Cria sabia seu papel. Ele havia escolhido bem. Na noite seguinte, quando eles mais uma vez deixassem a companhia um do outro, ele viajaria para o macondo*, onde o Chulupi* comdo o reverenciou como Desmodus*. Lá, ele podia praticar seus ritos, "Abraçar" as vítimas que os Chulupi forneciam com sua aproximação feiticeira da condição de Tzimisce e o laço que desenvolveu entre a novata e a terra. Ele colecionou suas coisas, incluindo a bolsa de papel impermeável que continha seus diários codificados, que continham a localização de seu esconderijo secreto Taumatúrgico perto da aldeia de Chulupi. 

*Macondo: Aldeia pequena e pacata a qual se assemelhava com a cidade de Aracataca, descrita nas obras do autor Gabriel Garcia Márquez.

*Chulupi: Povo indígena do norte da Argentina e Chaco Boreal no Paraguai.

*Desmodus: você terá uma conclusão ao final desse conto, o que sugere que o povo Chulupi tenha vindo a se tornar igual ao que eles, com medo, um dia reverenciaram...

Seu plano nunca iria se concretizar. 

Enquanto Hargau se retirava para um dia de sono presunçoso, Lady Willoughby despertou do sono e rastejou até o quarto dele em uma letargia agonizante. Em sua mente, ela lutou contra o desejo de despertar seu ancião no momento antes de condená-lo, deixando-o saber que seu infeliz subordinado havia finalmente sofrido o suficiente, mas muita coisa estava em jogo. Sem a satisfação de sua compreensão, Margaret mergulhou uma estaca de alfarroba no coração de Hargau e martelou-a para casa com um martelo de prata roubado dos escassos pertences de viagem do ex- Lord. Encharcada com seu sangue jorrando, esperando que ele a reconhecesse no momento em que seus olhos se arregalaram com o ataque, Lady Willoughby se arrastou de volta para o conforto de seus próprios aposentos e dormiu um sono intermitente pelo resto do dia.

Quando acordou, Margaret entrou em contato com as Víboras de Dios e informou ao líder do bando que estava pronta para cumprir sua metade do acordo. Quando o bando chegou, ela permitiu que saqueassem seus quartos de dormir. Estava em ruína, ela explicou, porque ela e Hargau tinham planejado fugir naquela mesma noite, mas ela o enganou para acalmar suas suspeitas, e eles lutaram brevemente quando ela o imobilizou em sua surpresa. Ela não tinha nenhuma utilidade para suas coisas meio embaladas, ela disse, e o bando poderia pegar o que eles queriam. O bando procurava informações sobre o avanço Taumatúrgico dos Tremere para seu Domínio patrono, mas eles não tinham motivos para pensar que Lady Willoughby saberia o que desejavam. E ela continuou a desempenhar seu papel como a vítima tímida, convencendo os Víboras da mesma forma que ela tinha convencido Hargau.

Na verdade, Lady Willoughby pegara a mochila de Hargau antes de conseguir que o bando recebesse seu prêmio. Ela sabia que a mochila não continha o segredo precioso, mas ela sabia que continha pistas para onde ele estava escondido. Ela então pediu a proteção dos Víboras de Dios, implorando asilo dentro do Sabá para, quando a notícia de sua traição chegasse a Viena, ela seria um Membro marcado. 

O pedido de Lady Willoughby estava além da autoridade que as Víboras de Dios tinham, especialmente nos domínios contestados da Argentina e em um domínio reivindicado pelo menos nominalmente por um Príncipe da Camarilla. Eles eram espertos o suficiente para perceber que não estavam lidando com um neófito chorão que acabaria empalado em um espeto durante a próxima Dança do Fogo de Espada de Caim, no entanto - eles conheciam o passado de Hargau e o fato de que uma poderosa facção rival no Sabá lhe proporcionou algum grau de proteção. Em vez de se arriscar a ofender aquela entidade desconhecida, eles a enviaram a Néstor Lavagna, então bispo do clã Lasombra, que mantinha um discurso civilizado com o príncipe de Mendoza. 

A audiência com o bispo foi tão bem quanto poderia. Da parte dela, Lady Willoughby era mais direta. O Bispo Lavagna arrancou vários pensamentos de iluminação da mente de Margaret, também, suavizando as ondulações em sua memória depois, para que ela não lembrasse do inquérito - e ele ficou intrigado com o que as confissões de Lady Willoughby sugeriam. A questão era: como ele poderia transformar isso melhor para sua vantagem? Se o conhecimento místico que ela possuía era verdade, os Tzimisce rivais do clã Lasombra no Sabá deixariam de ser uma ameaça política ao domínio legítimo dos Guardiões. Mas a arma era perigosa, pois sem o Tzimisce, o Sabá tinha poucas chances de manter seus domínios já tênues contra a Camarilla, e sem soldados adequados, a Espada de Caim certamente poderia representar nenhuma ameaça para os odiados Antediluvianos. E O bispo Lavagna teve que reconhecer a verdade - que ele era um Bispo remoto em um território contestado que tinha pouca compreensão do status global do conflito Camarilla-Sabá. Então ele fez o que o Membro faz melhor. Ele negociou sua informação por favores. 

Os Lasombra caem nas graças e fazem favores uns aos outros como nenhum outro clã pode, e Lady Willoughby logo encontrou ela própria convidada para o domínio de São Paulo por ninguém além do Arcebispo. A última vez que alguém viu ela estava sob a proteção da equipe dos Escolhidos de Caim na primavera de 1917, e lá sua trilha desaparece a consciência dos Amaldiçoados. 

Parece que o conto de Lady Willoughby termina assim, com ela se tornando uma cativa da Espada de Caim, provavelmente em algum inferno miserável sob as ruas de Sampa, onde ela está deitada ou algemada a uma escrivaninha, arranhando possíveis permutações do ritual que Hargau ladrou junto da Casa Goratrix. Esse não é o caso, entretanto. Ou melhor, era, mas não é mais. Os Tremere do Sabá de fato tinham Lady Willoughby contratada e enfeitiçada, ligada à biblioteca subterrânea do pontífice apóstata do Brasil. Lá ela permaneceu uma prisioneira, debruçada sobre não o ritual em si, mas os diários de Hargau, que realizou o segredo do ritual que poderia aleijar os Tzimisce. 

Uma noite, o ritual que vinculava Margaret a biblioteca simplesmente... expirou. Ela sentiu a custódia cessar de repente, como algemas caindo dos pulsos de um escravo. Isso foi há mais de uma década. Ela ainda não havia deixado a biblioteca - como ela pode? Ela está em uma cidade desconhecida onde ela não fala o idioma, em um domínio reivindicado por um Arcebispo ela pode ou não saber mais, quem pode ou não estar entre os amaldiçoados, e os bens discutíveis de um clã que desapareceu, que é um fato que ela não possui. Por todos os seus esforços para libertar-se do jugo de Hargau, ela acabou em situação ainda pior, e falta a temeridade para fazê-la ir de novo. Em vez disso, ela se confina na vasta biblioteca subterrânea do Pontífice ausente, alimentando-se de uma comitiva minguante de serviçais ainda vivos (não deveriam todos estar mortos agora?), vestindo o guarda roupa imaculadamente mantido por um século e guardando um segredo que ela atualmente não possui.

Pouco a pouco, porém, Lady Willoughby tem reunido ousadia para testar os limites de sua prisão. Na noite da lua nova, ele diz, um Malkaviano espanhol enviado da Mão Negra a visitou para conferir o seu progresso em curso com o Diário de Hargau. Ela não confia nele, e ele sabe que ela mente para ele quando ela diz a ele que tem sido diligente com o esforço, mas que não rendeu nada, e assim os dois jogam sua própria Jyhad privada. Este contato da Mão Negra permite o contato dela com o exterior mundo, porém, e fielmente traz seus manuscritos a serem postados, coletando as poucas respostas que ela pode receber. É um estranho código de honra, esta aberração dos Escolhidos de Caim possui, porque ele não lê o e-mail dela, acreditando que alguma noite ele descobrirá o que quer seja que o mantém voltando para o lado de Margaret. 

Então, quem exatamente corresponde com Lady Margaret Willoughby? Valkar de la Rosa, um Tremere espanhol Abraçado talvez uma década antes do ritual do Pontífice enfraqueceu. Quando o assistente Mão Negra de Margaret a visitou pela primeira vez, ela havia enviado uma carta ao Senhor de Valkar, mas acabou nas mãos da cria. De lá, de La Rosa continuou a comunicação fora de um sentido do dever, e desde então aprendeu o que Lady Willoughby acha que ela esconde, bem como coleciona uma cópia incompleta dos Diários de Hargau, que Margaret codifica com sua própria cifra, escorrendo para ele uma página por vez. Por que Lady Willoughby escolheu o senhor de Valkar? com quem iniciar correspondência? E por que ela continua apesar de saber que não é sua primeira escolha de Membros que devolvem suas cartas? Só ela sabe, mas ela pretende em breve tentar novamente, na esperança de alcançar um Membro diferente cujo último paradeiro conhecido ela espera discernir da biblioteca arcana abaixo São Paulo. Com pouca atenção para quanto tempo passou, ela provavelmente alcançará outro descendente de qualquer Membro nomeado, ou mesmo uma cria da cria, assumindo o endereço de recebimento que ainda existe.

A desintegração do que ainda resta da não vida Margaret Willoughby não é a pior da situação, Contudo. Hargau, nas mãos dos Víboras de Dios, nunca chegou ao macondo Chulupi.

Se o seu ritual teria ou não sucedido nunca se soube, mas tudo o que ele enterrou lá nas alturas dos Andes fez algo para a aldeia perto de onde estava enterrado. Esta noite, nenhum dos Chulupi sobrevive como os mortais que eles eram uma vez. Eles há muito tempo se tornaram Desmodus, o ranzinza; o que resta da aldeia em si é pouco mais que uma necrópole dessecada ... e seus moradores estão com fome. 

Senhor: Lady Lise Paulmann (falecido)
Clã: Tremere (possivelmente antitribu) 
Natureza: solitário 
Comportamento: Filantropo 
Geração:
Abraço: 1864 
Idade aparente: aproximadamente 30
Físicos: Força 2, Destreza 2, Vigor 2 
Sociais: Carisma 3, Manipulação 3, Aparência 2 
Mentais: Percepção 5, Inteligência 2, Raciocínio 2 
Talentos: Prontidão 4, Acuidade 1, Empatia 2, Lábia 3 
Perícias: Etiqueta 3, Performance 1, Furtividade 3
Conhecimentos: Acadêmicos 2, Investigação 2, Medicina 1, Ocultismo 1, Ciência (teoria desatualizada) 2 
Disciplinas: Auspícios 2, Dominação 2, Taumaturgia (Caminho do Sangue) 1 
Rituais Taumatúrgicos: Comunicação com o senhor, Proteção contra o mal da Madeira, Acionar o receptáculo de transferência, Despertar com o frescor do Anoitecer: Contatos 1, Rebanho 2, Aliados 2 
Virtudes: Consciência 1, Autocontrole 2, Coragem 2 
Moralidade: Humanidade 4
Força de Vontade:
Pontos de Sangue/ Máximo por Turno: 14/2

Imagem: Lhe negaram a oportunidade de assimilar a sociedade moderna. Ela exibe estagnação dos mortos-vivos em sua roupa em particular, vestindo vestido vitoriano completo quando ela espera alimentar ou quando ela espera para entreter o rival e confiante Malkavian da Mao Negra rival. De fato, ela tem pouca escolha, pois as únicas roupas que ela tem são aqueles com os quais ela foi sepultada na biblioteca do Pontífice do Sabá. Seu abraço veio no frio de dezembro, e ela tem um semblante de inverno que se destaca significativamente entre o aspecto tropical dos residentes - e dos Membros - do Brasil. Suas são pequenas e delicadas, quase sempre embainhados em luvas, e ela usa seus longos cabelos ondulados em bom Marcel Wave*. 

*Corte de cabelo vintage 

Dicas de Interpretação: Você é uma tempestade no mar, lenta para despertar, mas quando todo o peso da sua ira chega, é terrível de se ver, tanto tempo fechada você tem estado longe de quaisquer sorriso falso de servos e algum assassino de Seita. Ai do Membros, especialmente o voraz Sabá, que considera sua reserva para timidez ou complacência. Confinada a este covil húmido e horrível, você se tornou a sua leoa. Se você alguma vez escapasse, provavelmente seria oprimida pelas imensas mudanças forjadas sobre o mundo desde a sua remoção dele. Tudo pareceria familiar o suficiente para desestabilizar a sua tal atrofiada mente, mas sinistro o suficiente em sua diferença para mergulhar você em frenesi de medo ou pior.

Refúgio: A biblioteca do apóstata perdido de São Paulo é uma maravilha, mas incompleta, e a falta de habilidade prática de com a Taumaturgia de Lady Willoughby torna uma prisão dourada. Ou seria, se ela tivesse alguma ambição pela magia do sangue. Em vez disso, ela assombra sua vasta prateleiras como um revenant, ligado a ele agora pela distorcida sensação de segurança que ela encontra em sua familiaridade desprezível. Ela tem uma memória perfeita de quais livros e pergaminhos e onde estão, mas não o seu conteúdo. Desde o servos mortais que frequentam a biblioteca começaram lentamente a morrer, ela mantém um santuário para a memória deles em um aposento previamente não utilizado do cofre, onde ela exibe suas cabeças decepadas e ocasionalmente conduz uma conversas com elas, lembrou palavra por palavra desde a última vez que eles falaram. 

Perturbação: com seu contato limitado e poucas saídas substanciais para a conversa, Lady Margaret Willoughby encontra-se propensa a ataques viciosos de histeria, e é nesses estados que ela remove o cabeças de seus amados? - não, essa não é a palavra - lacaios mortais quando eles finalmente sucumbem à idade e ela lamenta. Na realidade, Lady Willoughby obviamente sofre algum horrível agravamento de algo parecido com a Síndrome de Estocolmo. Sob a combinação disso, suas histerias, e a monotonia sem fim do alojamento na tumba à luz de velas da palavra escrita, ela é perigosa e companhia prejudicial. 

V20 Children of the Revolution, p. 39 - 45

1 Comentários