Os Arautos da Estrela Rubra


A mais famosa seita de videntes do mundo e também uma das mais recentes. Os Arautos da Estrela Rubra, assim batizados devido à estrela que apareceu no começo de 1999, pouco antes da "semana dos pesadelos" e da grande enchente em Bangladesh, orgulham-se de sua receptividade. Todos os Membros que desejam comparecer as suas reuniões, que são divulgadas tanto quanto o possível dentro dos limites impostos pela Máscara, estão convidados. Estabeleceram como missão convencer o resto de sua raça de que o fim está muito mais próximo do que se costuma acreditar e que as diferenças precisam ser postas de lado agora, caso os vampiros queiram sobreviver.



A líder da seita, V. Harriet Bakos (o "V." é de Vampiresa, mas ela raramente se deixa chamar assim), não é vidente e nem mesmo vampira. No entanto, ela afirma ser uma dhampir: filha de uma cigana e de um Ravnos. Além disso, ela geralmente entra em transe e delira com visões muito semelhantes aquelas relatadas pelos videntes sob sua tutela. Em todas as suas visões, a estrela tem papel relevante como a luz-guia de uma criatura inconcebivelmente maligna que deveria chegar a Terra ainda em 1999. Apesar de só os Membros com um nível suficiente em Auspícios enxergarem a estrela, a aparição da mesma perturbou tanto a sociedade vampírica que está recebe essa profetisa hibrida com menos hostilidade do que seria de se esperar (consulte o Apêndice deste livro para obter mais informações sobre Harriet Bakos, a Estrela Rubra e a Semana dos Pesadelos).
As reuniões da seita presididas de fato por Harriet ou pelos seus videntes tendem a ser místicas e teatrais, conduzidas com todo o aparato cerimonial de uma sessão espírita. As demais, porém, organizadas e moderadas por seus confidentes, geralmente parecem convenções de observadores de OVNIs, repletas de apresentações de diapositivos, teorias da conspiração, palestras e panfletos foto copiados. Os integrantes atuais são principalmente vampiros muito jovens — inclusive muitos de sangue fraco — e carniçais, mas o obstinado recrutamento da seita começa a dar resultado e se vê ocasionalmente um ou outro ancilla (provavelmente espionando a serviço de um de seus superiores, mas os arautos preferem ser espionados a ignorados).



No momento, a seita tem cinco videntes, e a própria Harriet tem viajado por todo o Hemisfério Ocidental em busca de outros. No Brasil, foi abordada por alguns vampiros, supostamente integrantes de um grupo Tremere chamado "A Ordem da Wyrm". Disseram-lhe que a Estrela Rubra é obviamente o olho dessa Wyrm, que eles identificam como "a senhora deste mundo". O aparecimento do astro deve ser interpretado como um sinal de que a Wyrm está prestes a dar início a sua missão sagrada de limpar a Terra para o novo reino que virá. Sacrifícios de apaziguamento devem ser feitos imediatamente, pois só os poucos escolhidos sobreviverão. Ela ouviu as teorias deles durante metade da noite, depois mandou-os embora com alguns comentários depreciativos sobre os homens e suas serpentes de um olho só. Um representante Tremere do Conselho dos Sete garantiu a Harriet que não existe tal ordem no clã, mas, desde então, a dhampir e seus seguidores geralmente sentem que alguma coisa observa de perto os seus movimentos...

Referências:

Vampire The Masquerade: Encyclopaedia Vampirica, p. 29, 89

Vampiro A Máscara: Tempo de Sangue Fraco, p. 60,119,122, 125

https://www.worldofdarkness.com/article/5a8cc602e376413162ca94b8/Heralds_of_the_Red_Star

0 Comentários